Nota de apoio à greve das/os Assistentes Sociais da rede municipal de Saúde do Rio de Janeiro 

O Conselho Regional de Serviço Social do Rio de Janeiro vem a público declarar apoio à greve das/os Assistentes Sociais, trabalhadoras/es da Atenção Básica e da Saúde Mental do município do Rio de Janeiro, iniciada no dia 10 de novembro de 2017.
A Prefeitura do Rio de Janeiro sob o comando do Sr. Marcelo Crivella vem se apropriando do falacioso discurso da “crise do Estado” para justificar o acelerado processo de precarização no Sistema de Saúde e desassistência da população, além de diminuir as equipes de saúde com a demissão de mais de 170 profissionais de saúde, levando à sobrecarga das/dos trabalhadoras/es que permanecem contratados, estas/es estão exercendo suas funções, com salários incompletos ou atrasados. O quadro de negligência com a saúde pública no município do Rio de Janeiro ainda se agrava com a falta de medicações básicas, insumos e equipamentos, bem como condições de infraestrutura (energia elétrica e água).
A presente greve integra a agenda de mobilizações de todas as categorias profissionais que atuam na rede municipal de saúde contra o anúncio da Prefeitura do Rio de corte do orçamento destinado à Atenção Básica de mais de 500 milhões. Diversas manifestações de trabalhadoras/es da área já atestam a situação da rede pública de saúde como caótica e impraticável, cabendo ressaltar a conexão entre tal situação e o agravamento da condição de instabilidade das/os trabalhadoras/es, submetidas/os a práticas de assédio moral e ameaças de desemprego.
O CRESS-RJ, na luta permanente dos interesses da classe trabalhadora, se posiciona contrário ao desmonte da Rede de Atenção Básica e de Saúde Mental, e vem demonstrar apoio à greve das/os assistentes sociais em defesa da qualidade dos serviços prestados à população, assim como reafirma seu compromisso intransigente com a defesa do SUS 100% público, estatal, gratuito, universal e com a garantia do exercício do controle social democrático pelos usuários e trabalhadores dessa política. É preciso estar atento e forte contra a privatização da saúde!
Na página do Movimento Nenhum Serviço a Menos, estão disponíveis as 11 reivindicações das/os assistentes sociais que trabalham nos equipamentos municipais da Atenção Básica e da Saúde Mental do Rio de Janeiro. Confira aqui:
Nenhum Serviço a Menos! Em defesa do SUS e da Reforma Psiquiátrica!
 
Conselho Regional de Serviço Social / 7ª Região
Gestão “Não Temos Tempo de Temer”NOTA-CRESS-GREVE-PREFEITURA-DO-RIO

Outras Notícias

Comentar

Current month [email protected] day *