Grupos de Trabalho

Grupo de Trabalho Estadual de Emergências e Desastres Sócio-Ambientais

Ligado ao Colegiado de Conselhos Profissionais do Estado do Rio de Janeiro, este grupo de trabalho foi criado após o episódio de 2011, na Região Serrana do estado. Diante da situação de calamidade, várias categorias profissionais foram convocadas para prestar serviços na região. O evento revelou a fragilidade e o despreparo do Estado brasileiro em lidar com situações como essa, mas também revelou pouco acúmulo entre as categorias profissionais sobre o que compete a cada profissão, a partir de seus saberes e de suas atribuições, e de como eles podem se somar no trabalho em situações de emergências e desastres socioambientais.

A proposta é propor debates e produção de documentos e contribuir para instrumentalizar as diferentes categorias profissionais diante dessas situações, infelizmente, cada vez mais frequentes na realidade do nosso estado.

Representante do CRESS:
Edenilza Silva Cesário – CRESS no

Grupo de Trabalho de Combate à Intolerância Religiosa pela Promoção dos Direitos Humanos

Ligado à Secretaria Estadual de Assistência Social e Direitos Humanos, este grupo de trabalho buscou reunir lideranças dos mais diferentes credos religiosos, movimentos ligados à religiosidade ou ao ateísmo, entidades de defesa de direitos humanos, instâncias governamentais das mais diversas áreas, conselhos profissionais, dentre outras.

A proposta é pensar em políticas públicas e ações que objetivem o combate à intolerância religiosa, visando a redução de situações de violação de direitos que envolvem a questão. Além disso, o coletivo objetiva, com essa iniciativa, pensar como a religiosidade pode contribuir para a promoção dos direitos humanos, sem ferir o princípio da laicidade do Estado.

Representante do CRESS:
Marco José Duarte – CRESS nº

Grupo de Trabalho Técnico-profissional do Plano Popular da Vila Autódromo

Junto com várias outras entidades profissionais e de trabalhadores, o CRESS-RJ passou a compor esse GT a convite da Associação de Moradores, Pescadores e Amigos da Vila Autódromo (AMPAVA). Ameaçada de remoção em razão das obras para as Olimpíadas de 2016, a comunidade da Vila Autódromo, localizada na Zona Oeste da Barra da Tijuca, contando com assessoria técnica, elaborou um plano de urbanização alternativo à remoção.

O objetivo desse GT é construir parecer técnico sobre o Plano Popular da Vila Autódromo e sobre o plano de remoção da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, avaliando impactos arquitetônicos, ambientais, urbanísticos, econômicos e sociais de ambos.

Representantes do CRESS:
Isabel Cristina da Costa Cardoso – CRESS nº
Gláucia de Souza Britto – CRESS nº